Transportes de órgãos e tecidos no Brasil tem aumento de 9% em 2017

By in
No comments

O Ministério da Saúde informou que de janeiro a outubro de 2017, foram transportados mais órgãos e tecidos do que todo o ano de 2016. Neste ano, as companhias aéreas transportaram um total de 4.600 itens desse tipo dentro do período analisado. Em uma comparação com o ano passado, o período registrou uma alta de 9,1%. Em todo o ano de 2016, o número de transportes ocorridos para órgãos e tecidos foi de 3.847.

A lista do Ministério da Saúde ainda revelou que o número de órgãos transportados até o mês de outubro deste ano subiu de 1.023 em 2016, para 1.160 em 2017. O número de tecidos, utilizando a mesma comparação, saltou de 2.824 para 3.040 neste ano.

Os dados levantados pelo ministério são do SNT – Sistema Nacional de Transplantes, que também está vinculado com o ministério. As empresas que participaram desse total de transporte foram: Avianca, Azul, Gol, Latam e Passaredo. Um termo de cooperação criado em 2011 pela Secretaria Nacional de Aviação do Ministério dos Transportes, estabelece que todos os órgãos e tecidos devem ter garantia de transporte no país para que sejam entregues aos devidos pacientes.

O Ministério da Saúde ainda informou que o termo de cooperação passou por uma renovação neste ano, o que garante o transporte para o prazo já estabelecido no termo. Além dos órgãos e tecidos, as empresas transportam sangue e equipes médicas para que o procedimento seja realizado. Os custos relacionados às taxas de embarque são arcados por cada aeroporto brasileiro.

Além das companhias aéreas, a FAB – Força Aérea Brasileira, também auxilia no transporte dos órgãos e tecidos no país. Os dados da FAB apontam que neste ano, o número de órgãos e tecidos transportados pela Força Aérea Brasileira foi de 199. O serviço prestado pela FAB só é acionado em casos de emergências, como quando uma companhia aérea está sem voos para determinada região do Brasil.

Em 2015, a FAB transportou 28 órgãos e apenas 1 tecido. No ano seguinte, em 2016, o total de tecidos transportados pulou para 7, e de órgãos foi para 177. Já os dados desse ano, até o mês de outubro, apontam para 1 tecido e 198 órgãos transportados pela Força Aérea Brasileira.